“O difícil a gente faz agora. O impossível demora um pouquinho, mas vai sair”. Foi essa frase de seu pai que fez Kelvin Kaiser, CEO do Grupo Cene e Presidente da Associação Comercial de São José do Rio Preto, a Acirp, enraizar em sua mente e incorporar a ideologia em tudo que se propôs executar na vida. “Pode ser o que for, se houver dedicação e afinco, se você acreditar realmente nisso… Torna-se realidade. Pode até demorar um pouco, mas acontece”.

A mentalidade positiva foi muito necessária em sua função enquanto executivo quando a pandemia se alastrou pelo mundo. “O Grupo Cene é uma empresa da área da saúde há quase 35 anos. Possui gestão e processos maduros e sólidos, o que foi muito importante e diferencial no momento em que a pandemia chegou. Essa estrutura nos fez sentir a crise em menor proporção porque nos reinventamos e fomos ágeis ao montar protocolos de saúde e um comitê de crise logo no início para analisar, entender e prever possíveis situações. Nos primeiros momentos, a mudança de protocolo era quase diária”.

“Antes de qualquer coisa, o nosso foco é preservar a saúde dos nossos colaboradores e clientes. Tanto que a nossa taxa de colaboradores infectados pela covid-19 foi baixíssima, o que muito nos alegrou e é resultado das medidas tomadas previamente. Mas ainda é um momento complicado, de muita observação e análise do mercado. Cada segmento tem a sua realidade. Alguns podem estar no momento de expandir, outros de esperar. Precisamos ser conscientes que estamos vivendo uma crise histórica, uma pandemia. É preciso consenso e maturidade em saber até onde a sua ‘perna alcança’ e qual é o momento certo de agir. Havendo oportunidades, é importante entender se está estruturado e amadurecido para abraçá-las”.

“Surgirão muitas oportunidades no pós crise que vão gerar crescimento para muitos segmentos, mas cada um em seu tempo. Por isso, é fundamental o empresário estar bem atento e não deixar os seus projetos de lado, apenas entender o melhor momento”. 

“Meu maior aprendizado na vida e nos negócios é: ‘quem não mede, não gerencia’. Todas as ações da empresa devem ser mensuradas. Tudo o que você mede, você consegue gerenciar e, o que se gerencia, é possível fazer crescer ou simplesmente desativar – se for um produto ou empresa sem potencial de lucro. Isso faz com que você não perca dinheiro, não perca energia e, assim, dedica esforços onde tem potencial. Este é um grande mantra que os empresários precisam seguir para ensinar seu time a olhar os indicadores e, cada vez mais, gerenciar e ser capaz de delegar. Pois conforme você delega, mais tempo se tem para fazer e potencializar estratégias, parcerias, reforçar relacionamento e fazer com que o negócio cresça cada vez mais”.

O executivo também alerta que o sucesso das empresas está diretamente ligado à compreensão do seu papel social. “As novas gerações não buscam só salário ou carreira. Elas buscam propósito, então, o líder deve estar bem conectado e a frente dessa tendência”.

O que achou? Participe. Deixe seu comentário.