Corpo e Mente

A Desprogramação Neurobiológica com mesa radiônica, realizada pela Terapia Integrativa Holística, tem como intuito a mudança na vida das pessoas, já que proporciona o equilíbrio e aumenta a frequência energética. Ela proporciona a limpeza das energias de traumas e bloqueios do passado. Dentre as consequências desse método, está a liberação de medos e fobias, a melhora da ansiedade e da depressão, o aumento da autoestima e do amor próprio e o equilíbrio das mais diversas áreas. 

O propósito da Desprogramação é criar uma realidade na qual se possa permitir que as células voltem ao formato original, acessando todo seu potencial, permitindo que dons, habilidades e capacidades que até então estavam escondidas no DNA de cada célula estejam disponíveis. 

Caracteriza-se quando se estuda que a célula é a menor parte de um ser vivo com formas e funções definidas, tendo tudo o que é necessário para realizar as funções de nutrição, produção de energia e reprodução, que nos mantém vivos. O corpo humano é formado por milhares de células, as quais estão unidas para formar tecidos, órgãos e sistemas, que trabalham juntos para garantir o funcionamento do organismo como um todo e, consequentemente, nos manter vivos. A energia atua de forma rápida e muito eficaz. A plasticidade dos neurônios é ativada, melhorando o funcionamento do seu corpo. 

A Desprogramação Neurobiológica atua limpando as impressões que traumas emocionais, bloqueios mentais, padrões repetitivos e crenças limitantes deixam impressos nas nossas células, permitindo que elas voltem à forma original de funcionar, liberando os impactos sofridos ao longo de sua vida. 

A técnica foi canalizada por Douglas Rodrigues, criador do curso de Desprogramação Neurobiológica, que habilita terapeutas para atenderem com a técnica. A energia da Desprogramação é inteligente e trabalha nas áreas em que se requer mais atenção, mas é possível direcioná-la para temas e questões específicas. 

Melissa Pagano é especialista nessa área. Ela mora em Volta Redonda/RJ e atua como terapeuta integrativa  holística e é produtora executiva de eventos. Há 3 anos está à frente do Espaço de Atendimentos Orgone Terapias. “Clientes relatam resultados de forma rápida e eficaz com essas ferramentas que atuam numa velocidade maior do que estamos acostumados. É sempre um processo, cada um tem o seu, depende de como cada um se abre pra receber.  O que pude observar é que as pessoas não querem perder mais tempo na dor, querem resolver o problema e isso requer algo que funcione mais rápido também. E eu fico muito feliz com vários depoimentos positivos delas”.

créditos
fotografia: RAPHAEL SALAZAR
Todos os direitos reservados
0 FacebookTwitterLinkedinWhatsappTelegramEmail

Respire fundo e tente ficar calmo. Confinamento não é prisão e é necessário proteger você, seus filhos, amigos, família e ter muita empatia neste momento. Lembre-se sempre: vai passar e a boa notícia é que tudo isso é temporário. Por isso, listei algumas dicas para otimizar seu tempo com seus filhos em casa.

Cuide do corpo

Pratique exercícios junto com os pequenos: joguem bola, basquete, dancem, meditem, façam alongamento e evitem industrializados, muito açúcar e bebidas alcoólicas para os adultos. Se alimentem de forma saudável e bebam muita água.

Façam coisas que vocês gostam

Ouvir música, fazer curso online, jogos educativos online, jogos presenciais, assista séries que são adequadas aos dois quando estiverem juntos e, quando o pequeno não está, assista o que gosta.

Tente fazer algo na cozinha

Façam juntos receitas, mesmo que cozinhar não seja muito a sua praia, pois vale a pena tentar. Uma simples receita pode virar uma farra.

Estabeleça uma rotina

Tentem fazer as coisas de trabalho sempre no mesmo horário e, para o pequeno, tarefas do colégio ou atividades extras para que a mente fique sempre ativada. Isso os ajudará para que os dias passem de um jeito organizado e tranquilo.

Evite excesso de informação

Procure assistir noticiários apenas uma vez por dia. Não caia na armadilha da hiperinformação e no excesso angustiante de informações falsas e exageradas.
Neste momento, devemos otimizar nosso tempo para que tenhamos muita qualidade. Pense neste período como um alerta para melhorar a qualidade de vida com a família, olhar nos olhos de quem realmente está ao seu lado e fazer valer apena tudo que está buscando para sua vida.
Reflita! Pratique! Tudo vai ficar bem.

GISELE ALBUQUERQUE | PSICOPEDAGOGA
0 FacebookTwitterLinkedinWhatsappTelegramEmail

Falar sobre saúde mental ainda é um tabu, pois está diretamente associada à loucura, doença da mente e perturbações mentais. Mas afinal, o que é?

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a saúde mental é caracterizada por um estado de bem-estar no qual uma pessoa é capaz de apreciar a vida, trabalhar e contribuir para o meio em que vive ao mesmo tempo em que administra suas próprias emoções. Simplificando, podemos dizer que é o indivíduo que consegue lidar tanto com sentimentos positivos quanto com os negativos de forma equilibrada. Partindo destas colocações, é necessário que façamos uma reflexão sobre a necessidade de conhecer melhor nossos sentimentos e emoções e prevenir o adoecimento mental.

As pessoas, no entanto, evitam prestar atenção e fazer essas reflexões porque ninguém quer ser visto como desequilibrado. Não se pensa em saúde mental como algo que se refere a saúde como um todo. Todos podemos vivenciar momentos de adoecimento durante a vida, seja na doença física, quanto na doença mental. É preciso dar atenção ao nosso corpo de forma global e sistêmica, ou seja, de forma ordenada.

Em 2020, com o triste cenário vivenciado por todos nós, tivemos novos desafios para a saúde mental. O que ficou notório foi que a pandemia causou uma explosão de instabilidade emocional, pois alterou profundamente nossa rotina, nossos relacionamentos, nossa forma de estudar e de fazer as coisas. Estes fatores só fizeram aumentar os índices de ansiedade e depressão que já eram elevados – desde 2017, o Brasil tem o maior índice de pessoas com transtornos de ansiedade em todo o mundo com quase 19 milhões de brasileiros com a qualidade de vida comprometida. O Ministério da Saúde conduziu uma pesquisa para avaliar a saúde mental da população e o resultado foi alarmante: 86,5% dos entrevistados estavam enquadrados em algum tipo de ansiedade patológica e os quadros ansiosos é a terceira principal causa de afastamento do trabalho.

A lista de sinais de esgotamento mental e sintomas de ansiedade são longas: preocupações e medos excessivos, inquietação e nervosismo, irritabilidade, dificuldade de manter a concentração, visão inadequada dos problemas, fadiga e cansaço constante, sonolência ou dificuldades para dormir, sudorese, náuseas e queimações estomacais e, podem ocorrer também, tremores e espasmos. Há ainda os transtornos que merecem muita atenção e atendimento especializado como as fobias específicas: o transtorno obsessivo compulsivo (TOC), o pânico, entre outras que exigem uma combinação de medicamentos ansiolíticos ou antidepressivos, indicados sempre por um médico, e de psicoterapia realizada por psicólogos.

Por isso, cuidar da saúde mental é uma necessidade e não significa fraqueza. Assim como nosso corpo adoece, nossa mente também pode adoecer. Permita-se lembrar que você é humano e não um robô.

SOBRE O INSTITUTO DA VIDA

O Instituto da Vida fundado há mais de 10 anos nasceu do sonho de um grupo de psicólogos, que após a formação gostariam de trabalhar transformando vidas. Além de tratamentos psicoterapêuticos, o Instituto oferece também cursos e treinamentos e avaliação psicológica em diversos contextos. Em 2011, após crescimento da demanda passou a ser uma empresa juridicamente constituída. Tempos depois, o grupo foi desfeito, pois os integrantes tomaram rumos diferentes e então passou a ser dirigido por sua atual administradora, Joelma Caparroz.

Atualmente, conta com um número significativo de profissionais altamente qualificados, que atendem diversos processos psicoterapêuticos, avaliações psicológicas entre outros trabalhos. O Instituto da Vida recebeu diversas premiações e já atendeu aproximadamente 12 mil pessoas.

Unidade I – Instituto da Vida
Rua Professor Francisco Barbeta Júnior, 489 | SJRP
Unidade II – Instituto da Vida Kids
Rua Piracicaba, 1163 | SJRP

créditos
fotografia: DEIVID MURAD
Todos os direitos reservados
0 FacebookTwitterLinkedinWhatsappTelegramEmail

A neuropsicologia é a área que estuda as relações entre o cérebro e o comportamento e investiga diversas áreas cognitivas. O objetivo é compreender o papel dos sistemas cerebrais nas mais diversas formas de atividade mental.

Para isso, o neuropsicólogo faz a avaliação de quais funções cognitivas estão preservadas e quais estão comprometidas. Por meio de instrumentos próprios, entende o desempenho de algumas habilidades, tais como: atenção, percepção, linguagem, raciocínio, abstração, memória, aprendizagem, processamento da informação, visuoconstrução, afeto, habilidades motoras e executivas. O objetivo desta avaliação é coletar dados clínicos, analisar questões e explorar os pontos intactos que cada patologia provoca no sistema nervoso do paciente. A partir deste exame, é possível definir o melhor tratamento.

E como é feita?
Neurometria Funcional é a técnica totalmente indolor e tem metodologia reconhecida mundialmente, que analisa atividades cerebrais e ajuda na melhora da saúde física e mental. O sistema nervoso é sistêmico e estruturante, ou seja, as áreas do cérebro são muito conectadas e transmitem os pulsos nervosos para todo o corpo via Sistema Nervoso Autônomo. Por isso, as Análises Funcionais e os Treinamentos do Sistema Nervoso Autonômico e Cognitivo, que são testes com sensores nos membros e na cabeça, respectivamente, realizam a leitura dos impulsos nervosos e captam os dados do sistema nervoso do cliente. Todas as informações são processadas por um software que faz inúmeros cálculos e apresenta resultados em tempo real.

Onde posso encontrar o tratamento?
O Instituto Vida é a clínica em São José do Rio Preto que trabalha todas as técnicas de avaliação psicológica, investigação de funções cognitivas e neuromotoras. Além da técnica da neurometria funcional, trabalham com psicopedagogia e reabilitação. Com ampla experiência na área e equipe qualificada para atendimento, aceitam planos de saúde particulares e fazem clínica social.

 

CLÍNICA INSTITUTO VIDA
  • 17 3014-1616
0 FacebookTwitterLinkedinWhatsappTelegramEmail

Transmitido por meio das mãos, o Reiki é uma energia invisível que flui no nosso corpo e, por ser um método simples e seguro, pode ser usado também em conjunto com todos os tipos de tratamentos médicos ou terapêuticos, pois ajuda a aliviar os efeitos colaterais e promover recuperação mais rápida. Isso mesmo! Não tem absolutamente nenhuma contraindicação.

Agora, se está se perguntando como é a sessão de Reiki, é muito mais simples do que imagina. Durante uma sessão, o mestre ou terapeuta aplica o Reiki colocando as mãos sobre áreas específicas do corpo do paciente, locais onde estão localizados os principais chakras, para recompor o equilíbrio energético. Segundo Merci Duart, massoterapeuta e reikiana, “após a aplicação do Reiki é possível sentir uma sensação de paz, equilíbrio e relaxamento intenso. Os benefícios do tratamento atuam no nível físico, emocional e espiritual de qualquer pessoa que o receba, além de criar um estado de completa harmonia e muita serenidade”.

  • 17 99184-1791
0 FacebookTwitterLinkedinWhatsappTelegramEmail

Inteligência Emocional é a capacidade de gerenciar suas emoções e usá-las a seu favor. Segundo a Sociedade Brasileira de Inteligência Emocional (SBIE), quem tem Inteligência Emocional sabe pensar, sentir e agir de forma inteligente, sem deixar que as emoções o controlem ou se transformem em traumas ou doenças.

Ao trabalhar essa habilidade, todos são capazes fazer melhores escolhas e adquirir qualidade de vida, quesitos essenciais para ser inovador e conseguir atravessar momentos de crise, como a que vivemos agora em 2020.

Como desenvolver sua Inteligência Emocional

Saber reconhecer as emoções e como elas influenciam suas reações é fundamental para ter equilíbrio. A boa notícia é que todos podem ser inteligentes emocionalmente e, para ajudar nesse processo, Daniel Goleman, jornalista científico especializado nessa área, listou os cinco principais pontos para te ajudar no seu desenvolvimento emocional.

Autoconhecimento: o primeiro passo é se conhecer, analisar suas emoções e reações em resposta às atitudes dos outros. Essa é a principal chave da inteligência emocional, mas você deve estar ciente de que é um processo gradual e que varia de pessoa para pessoa. Nossa dica para você conhecer melhor as suas próprias emoções é colocar seus sentimentos e reações em um papel e, depois, refletir muito sobre ou, claro, buscar a ajuda de um profissional de saúde mental para trabalhar de forma mais profunda este processo.

Controle de emoções: aprender a lidar com as emoções e saber controlá-las te colocará na direção certa e fará toda a diferença em sua vida. Tente enxergar sempre o lado positivo das coisas e lembre-se que há diversas saídas, basta você procurá-las e, quando estiver sob pressão, o mais importante é manter a calma.

Automotivação: ao saber utilizar adequadamente suas emoções você chegará aos seus objetivos. Para isso, você deve aprender a responder aos seus próprios estímulos, um processo que envolve analisar como você se sente e que te permite decidir como quer se comportar para atingir suas metas.
Empatia: também é muito importante aprender a se colocar no lugar do outro, de reconhecer as emoções deles e entender seus comportamentos. Isso nos torna mais sensíveis, abertos e humanos.

Gestão de relacionamentos: outro ponto chave para o sucesso é saber ter boas relações, guiando as emoções dos outros. Isso criará um ambiente positivo a sua volta, melhorará não só a sua qualidade de vida, mas também contagiará todos ao seu redor.
Além dos principais pilares, é muito importante trabalhar três outros pontos que te farão uma pessoa e um profissional melhor:

Autorresponsabilidade: trabalhe sua capacidade de assumir a responsabilidade por todas as coisas que acontecem na vida, seja o sucesso ou fracasso.

Foco: o foco determina o resultado, por isso, é preciso desenvolver bem a capacidade de focar no objetivo e nos aspectos positivos das pessoas e situações.

Ações: somente pela escolhas certas de reações substituímos o medo, tristeza e raiva em alegria e amor. Esta é a fórmula para gerar bons resultados e concretizar sonhos.

Dica da redação

Se você se interessou e quer se aprofundar no tema, listamos alguns conteúdos sobre Inteligência Emocional. Como os livros: ‘Descubra seus pontos fortes’, de Donald O. Clifton e ‘Desculpability – Elimine de vez as desculpas e entregue resultados excepcionais’, de João Cordeiro, ou a aclamada obra de José Saramago, ‘Ensaio sobre a cegueira’, que pode ser encontradas nas versões em livro ou em filme.

KAMILLA FELIX | REDATORA
0 FacebookTwitterLinkedinWhatsappTelegramEmail